Editores da série MOC: Antonio Carlos Buzaid - Fernando Cotait Maluf - William Nassib William Jr. - Carlos H. Barrios

Editor-convidado: Caio Max S. Rocha Lima

Colorretal

Regime de terapêutico sem o uso de quimioterapia é aprovado para o tratamento do carcinoma colorretal avançado nos EUA

O FDA (Food and Drug Administration) aprovou em 08 de abril o uso do inibidor de BRAF encorafenibe associado ao anticorpo monoclonal anti-EGFR cetuximabe para o tratamento de pacientes com carcinoma colorretal avançado apresentando mutação no gene BRAF do tipo V600E após progressão a terapia prévia, conforme os dados do estudo de fase III BEACON CRC.

Neste estudo, 665 pacientes foram randomizados 1:1:1 para receberem tratamento com a combinação tripla de encorafenibe, binimetinibe e cetuximabe (n=224), a combinação dupla de encorafenibe e cetuximabe (n=220), ou o tratamento controle com irinotecano + cetuximabe ou FOLFIRI + cetuximabe a escolha do investigador (n=221). O objetivo primário do estudo é a avaliação da sobrevida global do regime triplo em comparação ao tratamento controle, enquanto a comparação entre o regime duplo e o tratamento controle é um dos objetivos secundários.

Os resultados iniciais do estudo foram publicados pelo periódico New England Journal of Medicine em 2019 com um seguimento mediano de 7,8 meses, demonstrando que a sobrevida global mediana se apresentava em 9,0 meses no grupo de pacientes que recebeu o regime triplo, 8,4 meses naqueles tratados com o regime duplo, e 5,4 meses dentre os que receberam o tratamento controle. Quando analisados estatisticamente em conjunto, tanto o regime triplo (HR=0,52; IC de 95%: 0,39-0,70; p < 0,001) quanto o regime duplo (HR=0,60; IC de 95%: 0,45-0,79; p=0,0003) foram associados a benefício em sobrevida global quando comparados ao braço controle. A taxa de eventos adversos de graus igual ou superior a 3 foi de 58% com o regime triplo, 50% com o regime duplo e 61% com o tratamento controle.

Dados atualizados com um maior tempo de seguimento foram apresentados na ASCO GI 2020, demonstrando sobrevida global mediana de 9,3 meses para ambos os regimes triplo e duplo, enquanto o mesmo desfecho foi de 5,9 meses nos pacientes tratados com o regime controle. A taxa de resposta objetiva foi de 26% com o regime triplo, 20% com o regime duplo e 2% com o regime controle. Também neste congresso foram apresentados dados relativos à qualidade de vida, demonstrando que ambos os regimes experimentais reduziram em mais de 40% o risco de deterioração da qualidade de vida em comparação ao tratamento controle utilizando diferentes instrumentos de avaliação, e não houve diferença entre quando os regimes triplo e duplo foram comparados entre si.

Os eventos adversos mais comuns associados ao regime aprovado utilizando encorafenibe e cetuximabe foram fadiga, náusea, diarreia, dermatite acneiforme, dor abdominal, redução do apetite, artralgia e rash cutâneo. As doses de tratamento utilizadas no estudo foram: encorafenibe 300 mg, administrado por via oral, diariamente, e cetuximabe 400 mg/m2, intravenoso, como dose inicial, seguido de 250 mg/m2 semanalmente.

Por Dr. Daniel Vargas P. de Almeida

Continue sua leitura

Mais informações e estudos no MOC Tumores Sólidos

Acessar MOC

Seja o primeiro a saber das novidades, cursos e novos manuais que serão lançados.

Cadastre-se abaixo para ter acesso:

Seu e-mail
Sua área de atuação

Sobre quais áreas você tem interesse de receber conteúdos?