Editores da série MOC: Antonio Carlos Buzaid - Fernando Cotait Maluf - William Nassib William Jr. - Carlos H. Barrios

Editor-convidado: Caio Max S. Rocha Lima

Carcinoma Urotelial

Sacituzumabe recebe aprovação para o tratamento do carcinoma urotelial avançado nos EUA

O FDA (Food and Drug Administration) concedeu em 13 de abril de 2021 aprovação acelerada ao anticorpo conjugado a droga sacituzumabe govitecana para o tratamento de pacientes com carcinoma urotelial avançado previamente tratados com quimioterapia baseada em platina e um imunoterápico (anti-PD-1 ou anti-PDL-1).

Os dados que embasaram a aprovação derivam do estudo TROPHY, que avaliou o uso de sacituzumabe govitecana no tratamento de 112 pacientes com carcinoma urotelial avançado previamente tratados com quimioterapia baseada em platina e um agente anti-PD-1 ou anti-PDL-1. A eficácia do tratamento foi avaliada através da avaliação de taxa de resposta e duração de resposta, objetivos co-primários do estudo. A taxa de resposta confirmada foi 27,7%, incluindo 5,4% de respostas completas, e a duração mediana de resposta foi 7,2 meses. Na avaliação de segurança, os efeitos adversos mais comuns apresentados pelos pacientes que receberam sacituzumabe govitecana foram neutropenia, náuseas, diarreia, fadiga, alopecia, anemia, vômitos, constipação, redução do apetite, rash cutâneo e dor abdominal.

Como trata-se de uma aprovação acelerada, dados confirmatórios de estudo fase III serão avaliados para a eventual aprovação definitiva.

Esta aprovação pela agência norte-americana reforça o crescente papel do uso dos anticorpos conjugados a drogas como uma importante opção terapêutica para diferentes neoplasias. Trata-se do segundo agente dessa classe a demonstrar eficácia no tratamento do carcinoma urotelial avançado, ainda que as drogas sejam direcionadas a alvos diferentes (Nectina-4 no caso do enfortumabe vedotina e Trop-2 para sacituzumabe govitecana). Outra estratégia que sugere ser bastante promissora nesse cenário e vem sendo avaliada em estudos clínicos (NCT03288545 e NCT03547973 coorte 3) é a combinação destas drogas com inibidores de checkpoint imunes. Ainda que os dados do estudo fase III TROPiCS-04 sejam necessários para avaliarmos os benefícios a longo prazo com o uso de sacituzumabe govitecana no tratamento do carcinoma urotelial avançado, é notório o progresso que temos alcançado no tratamento desta neoplasia nos últimos 5 anos, com a incorporação de imunoterápicos, terapia-alvo e anticorpos conjugados a drogas, aumentando assim as opções terapêuticas disponíveis para o tratamento de nossos pacientes”, destaca o Dr. Daniel Vargas P. de Almeida, oncologista clínico do Grupo Oncoclínicas de Brasília.

Por Dr. Daniel Vargas P. de Almeida

Continue sua leitura

Mais informações e estudos no MOC Tumores Sólidos

Acessar MOC

Seja o primeiro a saber das novidades, cursos e novos manuais que serão lançados.

Cadastre-se abaixo para ter acesso:

Seu e-mail
Sua área de atuação

Sobre quais áreas você tem interesse de receber conteúdos?