Editores da série MOC: Antonio Carlos Buzaid - Fernando Cotait Maluf - William Nassib William Jr. - Carlos H. Barrios

Editor-convidado: Caio Max S. Rocha Lima

Cabeça e Pescoço

Cetuximabe mostra-se inferior a cisplatina em tratamento concomitante a radioterapia para câncer de orofaringe HPV positivo

O Instituto Nacional de Saúde americano (NIH) recentemente emitiu nota divulgando que o estudo fase III multicêntrico RTOG-1016 (NCT01302834), que avalia o uso do anticorpo monoclonal anti-receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) cetuximabe concomitante a radioterapia no tratamento do câncer de orofaringe relacionado ao papilomavírus humano (HPV+), demonstrou prejuízo na sobrevida global dos pacientes em comparação ao mesmo tratamento radioterápico concomitante a cisplatina.

18_Noticia38_Fig01

O estudo randomizou 849 pacientes com câncer de orofaringe HPV+ (determinado pela expressão de p16 por estudo imunohistoquímico) localizado ou localmente avançado para receberem o tratamento radioterápico concomitante a cisplatina ou a cetuximabe. A inclusão dos pacientes foi concluída em 2015, e os dados recentemente divulgados referem-se a última análise interina do estudo, realizada após seguimento mediano de 4,5 anos. A análise de sobrevida global foi escolhida como o desfecho primário do estudo. Outro dado bastante interessante divulgado foi a ausência de diferença na taxa de toxicidades graves (graus 3-5) entre os dois braços de tratamento, sendo este um dos desfechos secundários do estudo.

A magnitude dos resultados ainda não foi divulgada, porém os dados serão apresentados no Congresso da Sociedade Americana Radio-Oncologia (ASTRO), que ocorrerá em 22 de outubro deste ano em San Antonio, Texas, EUA.

Esses dados demonstram que estratégias de desintensificação de tratamento nesta população devem ser implementadas com cautela e, de preferência, somente usadas nos subgrupos de pacientes com tumores HPV positivos de menor risco, após avaliação extensa em coortes prospectivas em estudos clínicos bem conduzidos”,  destaca o Dr. William William, oncologista e diretor médico da Oncologia Clínica e Hematologia do Centro Oncológico da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Por Dr. Daniel Vargas P. de Almeida

Continue sua leitura

Mais informações e estudos no MOC Tumores Sólidos

Acessar MOC

Seja o primeiro a saber das novidades, cursos e novos manuais que serão lançados.

Cadastre-se abaixo para ter acesso:

Seu e-mail
Sua área de atuação

Sobre quais áreas você tem interesse de receber conteúdos?